ARQUIDIOCESE
de Pouso Alegre

Setores pastorais organizam formação sobre Sínodo arquidiocesano - por Pe. Andrey Nicioli


O mês de fevereiro e março serão de formação para os setores pastorais da arquidiocese de Pouso Alegre, já visando o Sínodo arquidiocesano. Juntamente com o seu jubileu de 120 anos de criação, o ano de 2020 também é um ano de preparação espiritual, difusão e motivação para o Sínodo. Sobre estas formações, cada setor já definiu sua data e será assessorado por um membro da comissão responsável pelo Sínodo. 

Esses encontros têm dois objetivos, segundo o coordenador de pastoral, padre Mauro Ricardo de Freitas.

"O primeiro é apresentar o roteiro de formação do ano de 2020 em preparação para o Sínodo, com um livro de formação que será entregue. O foco deverá ser a motivação para o Sínodo, o que é o Sínodo e como acontecerá o Sínodo em nossa arquidiocese. O segundo objetivo é motivar a equipe paroquial e expor o seu papel no desenvolvimento do Sínodo, principalmente para esse ano e ano que vem, que será a etapa paroquial", disse. 

Cada paróquia é covidada a enviar cerca de 10 representantes, que depois serão os responsáveis por propagar e formar os paroquianos sobre essa temática. Os encontros nos setores devem ser em um domingo, a confirmar com os setores, entre 13h30 e 16h30. 

Por que um Sínodo arquidiocesano?

Segundo o próprio arcebispo metropolitano, dom José Luiz Majella Delgado - C.Ss.R., desde que chegou à arquidiocese, ouvindo e conversando com padres e leigos, foi percebendo a necessidade de celebrar um Sínodo, tempo que fosse para todos de escuta da Palavra de Deus e de Sua vontade, na graça e audiência ao Espírito, onde cada um tem algo a aprender. 

"É um tempo de caminhar juntos para aprender uns com os outros. A fé é também caminhar juntos, jamais sozinhos. Entendo que nos 120 anos de fundação da nossa diocese, chegou a hora de recorrer a esta instituição do Sínodo tão recomendada pela Igreja de ontem e de hoje, para a adequada renovação e atualização do caminho pastoral que envolverá, na unidade, todos os Setores Pastorais, as Paróquias e Comunidades, todas as instituições arquidiocesanas, todos os fiéis católicos, com validade para o período de 2020 a 2023", disse.

O que é o Sínodo?

A palavra “Sínodo” tem origem no grego “syn+hodós” e significa: caminhar juntos, isto é, caminho feito com os mesmos pés. Uma assembleia sinodal reúne clérigos, leigos e consagrados desta Igreja Particular, para auxiliar o bispo diocesano no exercício da sua função, para o bem de toda a comunidade cristã. É um caminho de reflexão, avaliação, renovação, planejamento e programação, feito em conjunto, com a participação de todos. O Sínodo, portanto, não somente manifesta a comunhão diocesana, mas também é destinado a edificá-la.

O que vai ser tratado no Sínodo?

Fiel à doutrina da fé, à moral e à disciplina universal da Igreja, o sínodo arquidiocesano tratará da realidade religiosa e pastoral de nossas comunidades paroquiais, organizações eclesiais e pastorais que compõem nosso “corpo diocesano”. Tratará também das diretrizes e métodos da ação evangelizadora, bem como da organização pastoral de nossa Igreja Particular.

Quais serão as etapas do Sínodo?

Em 2020 – Preparação espiritual. Ampla difusão e motivação para o Sínodo. Convidar todo o povo de Deus e rezar pelo bom êxito do mesmo.

Em 2021 – Etapa paroquial. Reflexão e tomada de consciência sobre a vida e a missão eclesial. Se realizará nas “bases”, nas comunidades e organizações pastorais do âmbito paroquial.

Em 2022 – Etapa setorial. Refletir sobre a vida e a missão da Igreja nos setores pastorais a partir dos relatórios da etapa paroquial. 

Em 2023 – Etapa arquidiocesana. Celebração da vida e da caminhada até aqui. Marcado pelo anseio de “caminharmos juntos”.

 

 

 

 

 

 

Publicado no dia 23/01/2020