ARQUIDIOCESE
de Pouso Alegre

Imagem de NS Aparecida é entronizada na Catedral Metropolitana - por Pe. Andrey Nicioli


Centenas de fiéis da Arquidiocese de Pouso Alegre celebraram nesta noite a entronização da imagem de Nossa Senhora Aparecida na Catedral Metropolitana. A imagem, que percorreu as 68 paróquias pelos 45 municípios que compõe o território arquidiocesano, foi doada pelo Santuário Nacional de Aparecida. A missa foi celebrada nesta quinta-feira, 3, e presidida pelo Arcebispo, Dom José Luiz Majella Delgado - C.Ss.R., e concelebrada por alguns padres do clero.

Em entrevista à Rádio Difusora Hd nesta semana, Dom Majella falou sobre o significado dessa imagem para a Arquidiocese. 

"A imagem tem o suor do nosso povo, que tocou, suplicou, que segurou. Ela está úmida do amor do povo. Este é o sentido dessa imagem para nós. Olhando para essa imagem nós sentimos a luta e a força do nosso povo dessa região do Sul de Minas. Portanto, essa imagem que será entronizada na nossa Igreja Catedral e que passou pelas nossas paróquias, tem o suor do nosso povo, que tocou, suplicou, que segurou. Ela está úmida do amor do povo. Este é o sentido dessa imagem para nós. Olhando para essa imagem nós sentimos a luta e a força do nosso povo dessa região do Sul de Minas", afirmou.

No início da celebração, representantes da Paróquia São José Operário de Itajubá, última paróquia que acolheu a imagem peregrina, entraram com a imagem, que foi acolhida pelo pároco e cura da Catedral, Cônego Vonilton Augusto Ferreira, pelo vigário paroquial, padre José Cândido de Andrade, e por Dom Majella. Um momento de muita emoção e devoção. Na sequência, a imagem de Nossa Senhora Aparecida foi colocada no nixo, onde ficará perpetuada.

Em sua homilia, o Arcebispo indicou que olhar para Maria significa aprender acolher a Palavra e a servir. 

"lhando para Maria, dela queremos aprender ser a voz da presença de Deus. Olhando para Maria queremos também aprender a sua ação, queremos ser transmissores. Precisamos ser essa Igreja missionária, que significa que pela fé precisamos caminhar, precisamos viver nossa comunidade cristã. Maria, pela fé, ela acolhe a palavra de Deus. Olhemos para Maria e fortalecemos nossa fé para que também possamos ser filhos amados de Deus na escuta, na oferta e na ação de graças", disse.

A data também marcou o aniversário de dedicação da Catedral Metropolitana de Pouso Alegre.

Leia a homilia de Dom Majella

“Quão amável o senhor é a Vossa casa”. Com o salmista, nós queremos traduzir nosso sentimento nesta noite de hoje. As leituras bíblicas nos ajudam a refletir sobre a casa, sobre a moradia. Nós estamos nesta casa, Templo Santo de Deus, lembrando a sua dedicação, mas vivendo os dias da novena em preparação à festa do titular desta Igreja, o Senhor Bom Jesus. Amados irmãos e irmãs, Cristo, com sua Paixão, Morte e Ressurreição, Ele é o verdadeiro Templo de deus. Mas nós somos o novo Templo de deus, o lugar da presença de Deus. 

Jesus indicou para nós, afirmando que “onde dois ou três estiverem reunidos em meu nome, ali estarei” (Mt 18,20). Eis o lugar da presença de Deus, quando nos reunimos em nome do Senhor. O Concílio Vaticano II, no documento da Lumen Gentium, afirma que a família cristã é a Igreja doméstica, isto é, um pequeno Templo de Deus. Porque a família cristã, abençoada pelo Sacramento do Matrimônio, se reúne em dois ou mais para falar de Deus. Amados irmãos e irmãs, a Igreja é o lugar da manifestação e da presença de Deus sobre a terra. Não se identifica com o Templo. Antes de tudo, somos nós, o povo de Deus, enquanto nos unimos a Deus pela fé e pelos sacramentos. Ai sim, sentimos a presença de Deus aqui nesse Templo. 

O edifício sagrado, esta casa que foi dedicada pelo nosso saudoso e querido dom José D’Ângelo, essa casa é o sinal visível, porque ela é o lugar do encontro com Deus, ela é o lugar onde se torna visível a nossa comunidade cristã. 

Aqui também, nesta casa, ela é um lugar onde ressoa a Palavra de Deus e onde se celebra a memória, isto é, a Eucaristia. Por isso nós olhamos para esta casa com muito carinho. Jesus nos ensina através do Evangelho de hoje que o zelo pela casa de Deus deve devorar nossa vida interior. Nós estamos nesta casa, nesses dias, fazendo uma caminhada de fé, olhando para Maria, a Mãe de Jesus, e que hoje, no sinal da imagem de Aparecida, foi entronizada na nossa assembleia. Mas nós olhamos para Maria como a grande ação de Graças por causa do seu “sim”. Porque ela disse “sim” a Deus, tornando-se a serva do Senhor, acolheu em seu ventre a grande alegria de Deus: seu filho Jesus. 

Maria acolheu Jesus, o Filho de Deus em seu ventre. Por isso a Igreja, dentro da sua tradição, olha para Maria e afirma: ela é o Templo do Senhor. O templo é a morada da divindade, e Maria deu seu ventre para Deus para ser o Templo. Mas nós vamos compreender Maria como Templo de Deus quando ela foi visitar sua prima Isabel. A saudação de Isabel, que vai bendizer pelo fruto de seu ventre (“Bendito és tu entre as mulheres, feliz aquela que acreditou”). É nessa saudação que vamos compreender a virgem de Nazaré como Templo do Senhor. E vamos compreender porque pela voz de Maria, ao saudar isabel, vai fazer com que aconteça naquele encontro o momento do Espírito de Deus. “Como pode a Mãe do meu Senhor venha me visitar?” A voz de Maria vai fazer João pular de alegria no ventre de Isabel, cheia do Espirito Santo. A voz de Maria vai apoderar Isabel e vai fazer uma intérprete autêntica dos acontecimentos. Bem aventurada aquela que acreditou porque vai fazer acontecer o que o senhor lhe prometeu. 

Deus se faz presente através da voz de Maria, Deus se faz presente na nossa voz aqui dentro deste Templo, que ecoa para os cantos do mundo. Assim, como na Arca da Aliança no Antigo Testamento, e sabemos que a Arca da Aliança tinha um véu que a cobria e Deus fazia prover sua voz, aqui vamos compreender porque Maria é chamada de Arca da Aliança, porque ela traz no seu ventre o Filho de Deus e na sua voz se faz presente a voz de deus. Maria é o Templo do Senhor porque Deus comunica à Maria a sua felicidade: Seu filho Jesus Cristo. Templo da presença de Deus. Olhando para Maria, o Templo do Senhor, nós vamos compreender que Maria é a virgem da escuta, ouvinte e servidora. 

Eis o Templo. Templo é o lugar da morada da divindade e quem adentra a este Templo escuta a Palavra e serve. Maria, como Templo do Senhor, é a virgem ofertante, pois ela oferece o ventre, mas não apenas o ventre, mas todo o seu ser. A sua oferta será lacrada com as palavras do velho Simeão: “uma espada de dor traspassará sua alma”. Maria, Templo do Senhor, é ação de graças. Junto à Isabel vai entoar seu canto: “minha alma proclama a grandeza do Senhor”. Olhando para Maria, dela queremos aprender ser a voz da presença de Deus. Olhando para Maria queremos também aprender a sua ação, queremos ser transmissores. Precisamos ser essa Igreja missionária, que significa que pela fé precisamos caminhar, precisamos viver nossa comunidade cristã. Maria, pela fé, ela acolhe a palavra de Deus. Olhemos para Maria e fortalecemos nossa fé para que também possamos ser filhos amados de Deus na escuta, na oferta e na ação de graças. Amém".

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



 

Publicado no dia 04/08/2017