ARQUIDIOCESE
de Pouso Alegre

Dom Majella ordena mais um padre para seu presbitério - por Pe. Andrey Nicioli


A Arquidiocese de Pouso Alegre esteve em festa na manhã do útlimo sábado, 02 de setembro, com a ordenação presbiteral do diácno Luciano Aparecido Pereira, em Cachoeira de Minas. O Arcebispo Metropolitano, Dom José Luiz Majella Delgado - C.Ss.R., dezenas de padres, religiosos e religiosas, seminaristas e centenas de pessoas de diversas comunidades da Arquidiocese participaram deste momento. Padre Luciano é o 25º padre filho da Paróquia São João Batista de Cachoeira de Minas. O lema escolhido pelo ordenando foi "E deixando tudo O Seguiram". 

Em sua homilia, Dom Majella lembro a todos o mistério e o significado do seguimento à Jesus Cristo.

"É um seguimento para partilhar a missão de Jesus. Um seguimento que faz de você um colaborador de Jesus. Deus não age sozinho, Jesus também não age sozinho, precisa de colaboradores. E você, querido diácono, se coloca como colaborador de Jesus. Qual é a condição? É dar atenção à Palavra de Jesus e deixar tudo. Essa é a condição. Eis o padre. O padre é aquele que dá atenção à Palavra de Jesus e deixa tudo por causa dessa Palavra. Eis o padre. Aquele que se faz colaborador, participante responsável. Pela Palavra que edifica e planta, arranca e derruba os projetos humanos que vão contra o querer de Deus. Eis o padre. Pela força da Palavra. Diácono Luciano, Jesus conta com você. Jesus conta com você. Jesus atua por meio dos homens que o escutam e fazem o que Ele diz: 'Em meu nome lançam as redes'. Fazer o que o Senhor diz. Dia a dia no seu ministério sacerdotal, saiba escutar Jesus", disse.

Atualmente, o padre Luciano Aparecido Pereira exerce seu ministerio como vigário paroquial na Paróquia São Benedito e São Cristóvão em Extrema. 

 Leia a homilia de Dom Majella

"Amados irmãos e irmãs, o que ouvimos hoje na Palavra de Deus podemos resumir numa palavra: vocação! Deus não quer agir sozinho, mas compromete os homens na hora da salvação, que lhes diz respeito. Deus quer colaboradores conscientes e ativos. O diácono Luciano, depois de um momento de formação no nosso seminário (meu agradecimento aos nossos formadores), depois de uma experiência nas várias comunidades de nossa Arquidiocese, fazendo sua experiência pastoral, e agora no seu ministério diaconal, o diácono Luciano responde, agora, com toda simplicidade, ele responde a Deus e a todos nós, à Igreja; 'aqui estou, envia-me'. Essa resposta desse jovem, que vem de uma família cristã, dedicada à obra da missão. Dona Rita, catequista, seu Lairton, membro de comunidade e participa do terço dos homens, os filhos sempre juntos numa vida de oração. Ele veio do seio de uma família que lhe deu e que lhe dá esse suporte. Deus não o forçou, suscitou apenas dentro dele, no seu coração, a vontade de se colocar a serviço da causa de Deus. Isto é vocação. Deus chama e o homem Lhe responde. Assim ouvimos na primeira leitura de hoje o relato da vocação do profeta Jeremias. Diante do chamado de Deus, Jeremias colocou uma objeção: 'eu não passo de uma criança, não sei falar'. Qual foi a resposta de Deus? A resposta de Deus foi simples: 'não tenhas medo!' A mesma resposta que Jesus vai dizer à Pedro no Evangelho: 'não tenhas medo!' É essa resposta que Deus dá a você querido filho, nesse dia de hoje, diante de um futuro que se desponta na sua vida: não tenhas medo!

O profeta Jeremias colocou objeção, Deus deu um ânimo para ele, mas Deus também disse ao profeta: 'eu vou assistir você, vou dar uma assistência divina. Eu estou contigo'. Eis querido filho o que Deus diz a você hoje: 'não tenhas medo, eu estou contigo'. Jeremias é capacitado para ser profeta. Lhe é confiada a missão que deve cumprir. Com essa certeza, Deus está com ele. Querido filho Luciano, com o sacramento da ordem, você passa a ser capacitado para ser profeta do povo de Deus. Você não está sozinho, aqui está o nosso presbitério. Seja profeta. A vocação viza uma missão e essa missão é um anúncio: anunciamos Jesus Cristo. Jesus Cristo vivo, este é o anúncio. A vocação é uma missão que leva você a uma atividade libertadora: libertar os cativos, os oprimidos, os pobres, os sofredores. Jesus, ao proclamar o texto do profeta Isaías na sinagoga em Cafarnaum, disse: “o Esprítio do Senhor está sobre mim porque Ele me ungiu para evangelizar”. É para isso que você está sendo consagrado presbítero: para levar essa boa nova a todos aqueles que sofrem. 

Nós ouvimos na primeira leitura que a Palavra de Deus que se torna eficaz na boca do profeta. É a eficácia, a força da Palavra de Deus. O profeta Jeremias tem essa força da palavra e vai ser a força da palavra de Deus que vai mover, vai levá-lo a lançar a semente. Palavra de Deus que está na sua boca, só que não depende de você, querido filho, como mensageiro. ela é de Deus, Palavra de Deus. 

Essa primeira leitura permite-nos entrever os insondáveis mistérios da vocação divina, porque estabelece uma comunhão vital com Deus por meio da expressão 'conhecer de Deus'. 'Desde o ventre materno eu te conheci, eu te chamei'. Aqui está o mistério da vocação. Conhecer de Deus. O que Deus conhece da gente? o que Deus conhece do diácono Luciano? É esse conhecer de Deus que vai fundamentar a vocação do profeta Jeremias, é esse conhecer de Deus que fundamenta a vocação do diácono Luciano. 

Vamos passar para o Evangelho. Evangelho que nós conhecemos como a passagem da pesca milagrosa. O qu ele provoca em nós? Provoca a aproximação de Jesus, o convite de Jesus, a escolha. Havia duas barcas e Jesus escolheu a barca de Pedro. Jesus escolhe e ele conhece quem Ele escolhe. Por isso querido diácono Luciano, com a sua vocação, você quer transmitir para nós um mistério. Você escolhe uma passagem: 'e deixando tudo, O seguiram'. É um seguimento para partilhar a missão de Jesus. Um seguimento que faz de você um colaborador de Jesus. Deus não age sozinho, Jesus também não age sozinho, precisa de colaboradores. E você, querido diácono, se coloca como colaborador de Jesus. Qual é a condição? É dar atenção à Palavra de Jesus e deixar tudo. Essa é a condição. Eis o padre. O padre é aquele que dá atenção à Palavra de Jesus e deixa tudo por causa dessa Palavra. Eis o padre. Aquele que se faz colaborador, participante responsável pela palavra que edifica e planta, arranca e derruba os projetos humanos que vão contra o querer de Deus. Eis o padre. Pela força da Palavra. Diácono Luciano, Jesus conta com você. Jesus conta com você. Jesus atua por meio dos homens e O escuta e fazem o que ele diz: 'Em meu nome lançam as redes'. Fazer o que Senhor diz. Dia a dia no seu ministério sacerdotal, saiba escutar Jesus.

A vocação é Deus que nos proporciona, é Ele que nos proporciona o encontro com Ele. Nos chama, nos capacita e nos envia em missão. O envia para ser um anunciador de Jesus, não o derrotado, mas o vitorioso. É esse Jesus que você vai anunciar. O Jesus que está pregado na cruz, mas que é ressuscitado e caminha conosco. Você é chamado a voltar às fontes da sua vocação, ser sinal e mediação da santidade e da misericórdia de Deus. É o que o povo quer e necessita, que o sacerdote seja sinal da santidade e misericórdia de Deus. Por isso você está deixando tudo. Voltar às fontes da sua vocação vai sempre revitalizar você a ser esse sinal da santidade e misericórdia de Deus. 

Querido filho, deixar tudo para seguir Jesus não e fácil. Essa é uma ação cotidiana. Seja um homem de oração, é o que nós esperamos de um padre: que seja um homem de oração e traduza a alegria dessa intimidade ao celebrar a Eucaristia. Que seja a Eucaristia o alimento diário da sua vida para você atender o povo de Deus na suas inquietações, nas suas esperanças." 

 

 

 

 

 

 

 

 

Publicado no dia 04/09/2017