ARQUIDIOCESE
de Pouso Alegre

Fase Arquidiocesana do processo de beatificação e canonização de padre Alderigi é encerrada - por Pe. Andrey Nicioli


A noite desta sexta-feira (22) foi de alegria e festa para a Arquidiocese de Pouso Alegre, pois se realizou a sessão de clausura (encerramento) da fase Arquidiocesana do processo de Beatificação e Canonização do Servo de Deus Alderigi Torriani. A soleninda ocorreu no Santuário Santa Rita de Cássia, em Santa Rita de Caldas, onde padre Alderigi viveu 50 anos. Desde seu início até a noite de ontem foram 16 anos de organização e levantamento de dados. Participaram dessa celebração padres do clero de Pouso Alegre, religiosos e religiosas, seminaristas e centenas de fiéis e devotos de Santa Rita de Cássia e Monsenhor Alderigi. 

"Momento de graças e bênçãos para nossa Igreja particular de Pouso Alegre, porquê um de nossos irmãos na fé viveu o dom do seu Batismo, assumiu a vocação à qual foi chamado e viveu seu sacerdócio com zelo e com muita intimidade com Deus. Por isso padre Alderigi deixou para nós sinas dessa sua intimidade. Deixou já vida dele com a convivência com seus irmãos, principalmente os mais pobres. Encerramos a fase diocesana desse processo, o qual prova o ardor de santidade e suas virtudes, conforme nosso conhecimento. Ao enviarmos para Roma, não enviamos apenas papéis, mas a história de um filho de Deus que passou por aqui e semeou a bondade de Deus, enviamos nossa certeza de que padre Alderigi intercede por nós junto à Deus", afirmou o Arcebispo Metropolitano, Dom José Luiz Majella Delgado - C.Ss.R. 

Para os atos jurídicos de conclusão do processo participaram, além do Arcebispo Metropolitano, o Juiz Delegado Arquiepiscopal, padre Rodrigo Carneiro; o Promotor de Justiça, padre Samuel de Faria Gãmbaro; a notária dessa processo, Marlene Silva; e o portador dos documentos de todo o processo, Dr. Paolo Vilótta. 

Durante a sessão, todos puderam confirmar a integridade e autenticidade dos documentos, tanto originais como suas cópias, que serão enviados à Congregação para a Causa dos Santos e os que ficarão no arquivo da Cúria Metropolitana de Pouso Alegre. Paollo Vilótta é o responsável por levar e acompanhar todo esse processo à Congregação da Causa dos Santos. 

São dois arquivos enviados ao Vaticano e um que fica no Brasil, cada um contendo os depoimentos recolhidos ao longo da realização do Processo, biografia de padre Alderigi, escritos do próprio padre Alderigi ou para ele enviados, e relatos sobre suas virtudes e santidade, num total de 1962 páginas. A partir de agora tem início a fase Romana do processo. 

Ao final da sessão, os presentes acolheram a imagem do Menino Jesus e o quadro com a foto do Servo de Deus Alderigi Maria Torrinai

"Queremos, mais uma vez, agradecer a Deus. E queremos fazer isso de um modo muito significativo. Vamos receber em nosso meio a foto do Servo de Deus Alderigi Torriani e o Menino Jesuus que ele, com tanto carinho, levava em cada lar desta Paróquia. Através desta imagem, padre Alderigi pedia que os fiéis abrissem as portas de suas vidas à salvação trazida ao mundo pelo Menino Deus. E pedia também que abrissem as portas de seus corações aos irmãos mais necessitados", lembrou padre Leandro Carvalho.

Após a sesão, todos puderam acompanhar a apresentação do Coral Vozes de Euterpe e participaram da Santa Missa. 

Agradecimentos

Durante a sessão, foram lembradas diversas pessoas que fizeram parte de todo esse processo ao longo dos últimos 16 anos. 

"Dentre tantos colaboradores, faz-se necessário recordar, de modo especial, o Frei Felipinho Gabriel Alves que, em 1985, decidiu escrever e divulgar a fama de santidade do padre Alderigi. A ele, nossa mais profunda gratidão, sobretudo por ter concedido todos os direitos autorais de seus escritos à Arquidiocese de Pouso Alegre em favor do Processo. Queremos recordar também o senhor João Batista Lorena e dona Edmea Maria Silva Maia, que tanto se empenharam em favor deste processo. A eles, nossa oração em sufrágio de suas almas para que sejam recompensado pelos Senhor Deus", postulador dessa fase do Processo, padre Leandro de Carvalho Raimundo. 

Também foram recordados outras pessoas que ajudaram diretamente nesta causa: o Arcebispo Emérito da Arquidiocese de Pouso Alegre e quem realizou a abertura do Processo; Dom Ricardo Pedro Chaves Pinto Filho - Opraem.; Dom Félix; Cônego Vonilton; padre Maurício Rowan; padre Eduardo Rodrigues; padre José Francisco; Rodolfo Silva; Marlene Silva; Maria Helena; Lourdinha Melo; Paulo Roni; Vânia Reis; e Ana Angélica.  

Leia a Ata de Encerramento da Fase Arquidiocesana 

"Em nome de Deus. Amém.

No Ano do Senhor 2017, Ano V do Pontificado do Papa Francisco, no dia 22 de dezembro, às 18h, no Santuário de Santa Rita na cidade de Santa Rita de Caldas, estado de Minas Gerais, diante do Excelentíssimo e Reverendíssimo Dom José Luiz Majella Delgado - C.Ss.R., Arcebispo Metropolitano de Pouso Alegre, presentes o Revmo. padre Rodrigo Carneiro Paiva Mendes, Delegado Arquiepiscopal; o Revmo. padre Samuel Faria Gâmbaro, Promotor de Justiça, legitimamente citados; eu, a Notária, entreguei tanto as atas originais, quanto dois exemplares autenticados do Processo Arquidiocesano, celebrado pelo referido Delegado Arquiepiscopal, sobre a vida, as virtudes e a fama de Santidade do Servo de Deus Alderigi Maria Torriani, sacerdote desta Arquidiocese. 

Ouvido o Promotor de Justiça, o qual declarou que nada tinha a se opor, nem contra o original do referido processo nem contra as cópias do mesmo, o Exmo. Senhor Arcebispo e Revmo. Delegado Arquiepiscopal confirmaram a integridade e autenticidade tanto dos originais quando das cópias e ordenaram que estas últimas fossem entregues ao portador, para que as levasse à Roma e as apresentasse à Congregação da Causa dos Santos. 

Convidado pelo Senhor Arcebispo, o portador presteou o seguinte juramento:

'Eu, Paolo Villota, designado portador do Processo sobre a vida, as virtudes e a fama de santidade do Servo de Deus Alderigi Maria Torriani, celebrado na Arquidiocese de Pouso Alegre, juro cumprir filemente a missão a mim destinada, de levar a Roma dois exemplares autenticados do referido Processo e de entregá-los à Congregação da Causa dos Santos, juntamente com o envelope contendo as Cartas do Senhor Arcebispo, do Delegado Arquiepiscopal, do Promotor de Justiça e o Instrumento de Fechamento. Que Deus me assista e me ajudem estes Santos Evangelhos'. 

Prestado este juramento, o Exmo. Senhor Arcebispo e o Delegado Arquiepiscopal ordenaram que o verbal da presente sessão, firmado e timbrado por estes e pelo Promotor de Justiça, em três cópias, fossem incluídos nos atos originais e nas duas cópias autenticadas a enviar a Roma e que eu, a Notária, reconhecesse a autenticidade das assinaturas e dos timbres. Ordenaram, ainda, que o Processo original fechado e sigiliado, fosse conservado com atenção no arquivo da Cúria Arquidiocesana, e que não fosse aberto sem permissão do Senhor Arcebispo. Ordenaram também que as duas cópias autenticadas do mesmo, fehcado e sigilado e assinado por mim na parte externa, fosse entregue ao portador designado, juntamente com o envelope das Cartas. 

Realizado tudo isto, o Senhor Arcebispo, o Delegado Arquiepiscopal, o Promotor de Justiça e o portador designado, assinaram como segue:

Dom José Luiz Majella Delgado - C.Ss.R. (Arcebispo Metropolitano)

Padre Rodrigo Carneiro Paiva Mendes (Delegado Arquiepiscopal)

Padre Samuel Faria Gãmbaro (Promotor de Justiça)

Dr. Paolo Villota (Portador designado)"

Publicado no dia 23/12/2017