ARQUIDIOCESE
de Pouso Alegre

Jacutinga acolhe novo pároco e novo vigário paroquial - por Pe. Andrey Nicioli


Na noite da última quarta-feira, 28 de fevereiro, a Paróquia Santo Antônio de Jacutinga acolheu seu novo pároco, padre Alexandre Acácio Nogueira, e seu novo vigário paroquial, padre Fabiano Cézar da Silva. A Celebração Eucarística, durante a qual foi dada posse canônica ao pároco, foi presidida pelo Arcebispo Metropolitano de Pouso Alegre, Dom José Luiz Majella Delgado - C.Ss.R., e concelebrada por diversos padres do clero arquidiocesano e também contou com a presença de centenas de fiéis de Jacutinga e visitantes. 

No início da celebração, Dom Majella pediu que a comunidade agradecesse aos padres que recentemente foram transferidos de Jacutinga. 

"Estarmos aqui nesta noite é motivo de ação de graças. Convido a todos a colocar no altar do Senhor, em agradcimnto, o padre Jésus que esteve aqui por alguns anos e também o padre Marcos Vinícius. Vamos rezar por eles, agradecendo a dedicação e o trabalho de evangelização que realizaram com vocês nesta comunidade", pediu. 

No início da celebração foi feita a leitura do Decreto de posse canônica. De joelhos, de frente para o altar, padre Alexandre fez a sua profissão de fé e juramento de fidelidade, como é pedido a todo cristão que vá assumir um ofício dentro da Igreja.

No início da sua homilia, o Arcebispo Metropolitano lembrou que esse período quaresmal vivido na Igreja é a oportunidade para olhar para o irmão.  

"Quaresma é uma caminhada, assim como ouvimos no Evangelho de hoje. Jesus subindo para Jerusalém com seus discipulos. Nesta caminhada Jesus anuncia aos discípulos como vai acontecer a sua Paixão pela terceira vez. Jesus realiza conosco esta caminhada. Nesta Quaresma nós também estamos sendo esses discípulos do Senhor, fazendo o caminho, e Jesus está nos falando do seu sofrimento, da sua dor, da sua atitude. Qual está sendo a nossa atitude? Não podemos dizer: 'eu já sei de tudo isso'. Nós sabemos, mas Jesus está dizendo no hoje da nossa vida. Ele está falando do seu sofrimento hoje. Como estamos acolhendo esse sofirmento do Senhor? muitas vezes, na nossa caminhada quaresmal, ficamos olhando para nós mesmos, preocupados com nossas penitências, com nosso jejum, com nossas moritficações, no perguntando: 'será que estamos agradando a Deus? estou fazendo direitinho?'. Mas isso acaba nos secando, porquê ficamos fazendo uma Quaresma voltados para nós mesmos e não percebemos o sofirmento de Jesus. Amados irmãos e irmãs, não estamos sozinhos nesta Quaresma, somos uma família, estejamos atentos ao nosso irmão. Não fiscalizando se ele está fazendo bem sua Quaresma ou não, não é este o sentido que estou dizendo, mas no sentido que a grande caminhada quaresmal nos leva a enxergar melhor o outro, a perceber melhor o outro, a estarmos mais próximos do outro. Precisamos sempre da Graça de Deus. Que saibamos buscar essa Graça de Deus nesta caminhada quaresmal com essa consciência: Jesus caminha conosco", disse. 

Dom Majella também lembrou que a Paróquia de Jacutinga já ofereceu inúmeros filhos seus à consagração à Deus no ministério ordenado. Ao todo, são 25 padres filhos da terra. 

"A nossa comunidade paroquial de Santo Antônio de Jacutinga acolhe seu novo pároco. Que graça para nossa Paróquia, que bênção para nossa Arquidiocese poder trazer dois novos padres para esta Paróquia. Esta Paróquia que prima pelo número de sacerdotes que ja ofereceu à Igreja. Quantos padres ja nasceram aqui nessa Paróquia frutos do testemunho cristão, frutos do empenho dos padres que aqui passaram, frutos das familias que rezaram e rezam, frutos do testemunho de tantos sacerdotes que aqui transmitiram e deram para vocês a alegria de ser padres? E hoje estamos trazendo para esta comunidade dois padres para continuarem essa ação evangelizadora desta Paróquia, continuar a missão", lembrou.

Dom Majella também afrimou que o padre, de modo especial, é convidado a beber do cálice de Jesus e explicou o que é esse "beber o cálice de Jesus.

"E a esses dois sacerdotes que hoje apresentamos em Jacutinga, vamos compreender o convite que Jesus faz, e faz a todos nós, mas hoje Jesus faz um convite a eles. 'Vocês podem beber do cálice que beberei?' Certamente vão responder: 'sim, nós podemos'. E este convite que Jesus faz, de modo particular, a cada sacerdote. O que significa beber deste cálice, que diariamente renovamos na Eucarista? Significa abraçar a Cruz, significa ter no coração a obediência a Deus Pai como Jesus assim o teve, significa conviver com situações amargas, situações difíceis. E nós sabemos como o padre numa Paróquia, por mais querido e amado que seja, enfrenta muitos momentos que o cálice de Jesus é amargo. Muitos padres nas nossas Paróquias vivem aquela experiência do profeta Jeremias que nós ouvimos na primeira leitura de hoje, fazendo um lamento diante da missão que ele realizou e as pessoas não compreendiam. O profeta vai fazer uma prece a Deus: 'atendei-me Senhor, atendei-me Senhor, atendei-me Senhor'. É assim! O paroco e seu vigário, o padre numa Paroquia, sendo um homem que bebe o cálice de Jesus, muitas vezes e em muitos momentos, ele vai colocar o joelho no chão e vai dizer: 'atendei-me Senhor.' Beber o cálice de Jesus é saber fazer a experiência da solidão, como Jesus fez no Horto das Oliveiras. É esta experiência de um padre numa Paróquia. Se ele não beber o cálice de Jesus, ele não vai viver o seguimento de Jesus como Jesus quer, propõe e deseja. Quem o segue, como sacerdote, é para beber do seu cálice. Por isso ele diz: 'vamos subir para Jerusalém', o lugar da dor, do sofrimento, mas o lugar da ressurreição. O padre que assume uma Paróquia se coloca à serviço desta Paróquia. O que esperamos do sacerdote é que ele seja verdadeiramente uma pessoa que transmita, com a sua vida e seu jeito de ser, o jeito de ser de Jesus. Não é uma cópia de Jesus, mas vai viver como sacerdote do jeito que Jesus viveu e propôs: servir", afirmou. 

Após a homilia, dando continuidade ao rito canônico, o novo pároco foi conduzido pelo Arcebispo até a porta da Matriz, onde lhe entregou as chaves da Igreja; à pia batismal; ao confessionário; ao Sacrário; e, por fim, à cadeira da presdiência. Após a assinatura dos documentos, Dom Majella, com muita alegria, apresentou padre Alexandre e padre Fabiano para toda comunidade.

No final da missa, o novo pároco fez seu discurso de agradecimento e também fez uma convocação: "vamos juntos trabalhar pelo Reino de Deus. Que cada comunidade, cada capela,cada irmão consagrado pelo Batismo se sinta convocado para anunciar o Evangelho. Vamos invadir com a Luz de Cristo as trevas dos corações afastados do Senhor". 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fotos: Pascom Paróquia Santo Antônio de Jacutinga

 

 

 

 

 

 

Publicado no dia 01/03/2018