ARQUIDIOCESE
de Pouso Alegre

Futuro beato brasileiro, padre Donizetti foi ordenado em Pouso Alegre - por Pe. Andrey Nicioli



Foto do site: santosbeatoscatolicos.com

Com informações VaticanNews - 

Na audiência ao prefeito da Congregação das Causas dos Santos, cardeal Angelo Becciu, no último sábado (06), o papa Francisco reconheceu o milagre por intercessão do venerável servo de Deus padre Donizetti Tavares de Lima que será beatificado, e as virtudes heróicas dos servos de deus frei Damião de Bozzano e do leigo Nelson Santana. Durante o encontro, o Santo Padre autorizou a promulgação de alguns decretos, reconhecendo o milagre por intercessão do venerável servo de Deus padre Donizetti Tavares de Lima que será beatificado.

Nascido em Cássia (MG) no dia 03 de janeiro de 1882. Estudou em Franca, Sorocaba e no Seminário Episcopal de São Paulo, onde exerceu a função de organista e professor de música. Aos 21 anos já tinha tomado a decisão pelo sacerdócio e matriculou-se no curso de filosofia do Seminário de São Paulo. Completou seus estudos eclesiásticos em Pouso Alegre-MG, local em que tornou-se sacerdote em 12 de julho de 1908, quando foi ordenador por Dom João Batista Corrêa Nery. Segundo o responsável pelo arquivo arquidiocesano, padre Rodrigo Carneiro, na época da ordenação ainda não havia a diocese de Guaxupé, a qual pertenceria sua cidade natal.

"Ele é de Cássia e na época Cássia pertencia à Pouso Alegre, não havia a diocese de Guaxupé. Alguns padres, quando dom Nery foi embora para Campinas, o acompanharam, e o padre Donizetti estava entre eles. Tambaú passou à diocese de São João da Boa Vista. Dom Nery foi administrador apostólico da diocese de Campanha e foi transferido para Campinas em 30 de outubro de 1908", explicou. 

Depois de ordenado, vai para a diocese de Campinas, acompanhando Dom João Nery, ocupando a função de Pároco em Vargem Grande do Sul (SP). Transfere-se, em seguida, para a diocese de Ribeirão Preto, à qual pertencia Tambaú. A Paróquia Nossa Senhora Aparecida, em Tambaú, nunca pertenceu à diocese de Pouso Alegre. Era de São Paulo até 1908, quando passou a pertencer a Ribeirão Preto. Em 1960, passa a pertencer à nova diocese de São João da Boa Vista.

A ordenação de padre Donizetti está anotado no livro de regristros da arquidiocese de Pouso Alegre, sendo ele o 22º padre ordenado. Padre Donizetti exerceu seu ministério sacerdotal em Campanha-MG, Jaguariúna-SP e Vargem Grande do Sul-SP. Chegou a Tambaú em 12 de junho de 1926 permanecendo até seu falecimento, em 16 de junho de 1961. 

Nas redes sociais do Santuário Nossa Senhora Aparecida de Tambaú, o atual reitor, padre Anderson Godói, se pronunciou sobre o anúncio da beatificação.

"Quero compartilhar com você a alegria que invade nossa alma em anunciaar que a Igreja reconheceu padre Donizetti como beato. Homem que viveu nesta cidade, que testemunhou o amor de Deus. quero compartilhar com você em poder anunciar, partilhar essa notícia que o papa Francisco nos deu. Quero convidá-lo para, desde já, a rezar e preparar nosso coração para a beatificação do padre Donizetti. O nome Donizetti signfiica 'dom, presente de Deus'. Hoje temos a oportunidade de abrir esse presente e mostrar às pessoas um homem simples, um homem que tinha um amor a palavra de Deus, que tinha uma devocação a nossa senhora", disse. 

Biografia

Assim que assumiu a paróquia, padre Donizetti encomendou a réplica da imagem de Nossa Senhora Aparecida para colocar na Igreja Matriz de Santo Antônio. Em 1929, um incêndio provocado por um curto circuito destruiu completamente a igreja. Das 23 imagens que havia no local restou intacta apenas a imagem da padroeira do Brasil, retirada do incêndio pelo padre Donizetti. Diante do fato o padre prometeu construir um santuário para a Virgem Santíssima. Seu desejo, porém, só foi concretizado após sua morte, aos 79 anos.

Padre Donizetti espalhou por Tambaú diversas obras sociais, entre elas destacam-se a fundação do asilo São Vicente de Paulo e da Associação de Proteção à Maternidade e à Infância de Tambaú. Criou também a Congregação Mariana, a Irmandade das Filhas de Maria e o Circulo Operário Tambauense.

O religioso fez voto de pobreza desde sua ordenação sacerdotal e a única coisa que dizia possuir eram livros.  Para ele, a evangelização só alcançava seus frutos através da penitência. Exerceu seu sacerdócio como Jesus, a serviço dos pobres, dos desprotegidos e dos doentes. Viveu de maneira simples e humilde, sempre à disposição do povo.

Sua “fama de Santidade” já em vida, leva até hoje milhares de pessoas ao Santuário Nossa Senhora Aparecida de Tambaú-SP, onde encontram-se seus restos mortais. Na chamada “Casa dos Milagres”, nome dado à residência onde viveu, encontram-se inúmeros objetos deixados por pessoas que alcançaram uma graça. Atualmente o padre está em processo de beatificação junto ao Vaticano.

 

 

 

Publicado no dia 08/04/2019