ARQUIDIOCESE
de Pouso Alegre

Congresso missionário reflete sobre missão, convergência e pastoral urbana no sul de Minas - por Pe. Andrey Nicioli


Texto/Imagens: Assessoria de Comunicação da Diocese de Guaxupé - 


Dom Lanza, referencial para a missão no Leste 2

Nos dias 17 a 19 de maio, a Província Eclesiástica de Pouso Alegre, que reúne as dioceses da Campanha, de Guaxupé e a arquidiocese de Pouso Alegre, promoveu o Congresso Missionário Provincial, em Três Corações (MG). Mais de 80 participantes vindos das dioceses se dedicaram ao aprofundamento de temas atuais da missão: a pastoral orgânica, os desafios da pastoral urbana e a Infância e Adolescência Missionária (IAM). Além das palestras e dinâmicas, foram realizadas oficinas de implantação de iniciativas missionárias.

Na missa de abertura, dom Pedro Cunha Cruz, bispo da Campanha, reforçou a necessidade de uma Igreja missionária que faz do Evangelho sua regra de conduta. “Missão é colocar-se a caminho e ajudar os outros a conhecer esse mistério de comunhão”. Bispos, presbíteros, diáconos, religiosas, leigos e leigas participaram de uma dinâmica no início do encontro, organizada por leigos da diocese anfitriã, os missionários construíram uma tenda simbólica com os sonhos e os desafios da evangelização, que os conduzia a relembrar a força e a presença da Igreja nos continentes, assim como a necessária experiência de sair de si para ir ao encontro do outro.

O primeiro tema foi conduzido pelo padre Jean Poul Hansen, coordenador de pastoral da Diocese da Campanha, que explicitou a íntima relação entre a Iniciação à Vida Cristã e a dimensão missionária da Igreja. “Sem a Iniciação, não existe a missão. Ambas estão umbilicalmente unidas. É a missão que possibilita a iniciação e a iniciação que possibilita a missão”. 

O congresso tratou também da Missão Permanente e Pastoral Orgânica em vista de uma Igreja em Saída. Para explorar esse assunto, foi convidado o padre Patriky Samuel Batista, coordenador de Evangelização da Diocese de Luz e assessor do Regional Leste 2 para a Campanha da Fraternidade. Ao desenvolver sua fala, o assessor apontou perspectivas aos participantes a partir de algumas fontes: Documento de Aparecida (2007), Alegria do Evangelho (2013) e as atuais Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora (2019-2023).

Na missa de encerramento, dom José Lanza Neto, bispo de Guaxupé e bispo referencial para a Ação Missionária e Cooperação Intereclesial do Leste 2, expôs a urgência da missão nos dias de hoje, que necessita de inspirar-se no testemunho dos apóstolos e na vivência da santidade. 

 

 

 

 

Publicado no dia 21/05/2019